segunda-feira, 25 de julho de 2011

Por que o atendimento à mulher gestante no Brasil vai na contra-corrente do Reino Unido?

Minutos depois de postar a matéria da recomendação dos obstetras do Reino Unido para o aumento dos partos domiciliares para uma gestação de baixo risco, leio com pesar uma matéria sobre o desaconselhamento do Cremesp para partos domiciliares. O que acontece no Brasil? Será que o modelo de assistência britânico e holandês são tão equivocados assim? Por que as diferenças nesse campo com o Brasil são tão discrepantes? Será que as brasileiras possuem um gene fraco, que as impossibilita viver um parto normal onde elas queiram?Ou se trata apenas de uma cultura, de uma ideologia?

É hora de questionamentos e reflexões.

Aqui está o link da matéria publicada na Pais e Filhos: http://revistapaisefilhos.com.br//gravidez/voce-viu/cremesp-desaconselha-parto-domiciliar

Nenhum comentário:

Postar um comentário